quarta-feira, 30 de agosto de 2006

Plutão: o Planeta Anão

Nesse ano, há poucos dias ou semanas (não sei ao certo), Plutão foi rebaixado. Ele não é mais um planeta, é um planeta anão. Gramaticamente, essa frase não faz sentido; planeta anão ainda á planeta, mas menorzinho. Como disse Ethan Olsen, americano estudante da oitava série: "É grande o suficiente para ser um (planeta), eu acho". Mas não é apenas o tamanho que importa. Planetas anões são corpos celestes cujas gravidades lhes dá forma quase esférica, porém sua órbita não é desimpedida. A órbita de Plutão coincide com a de Netuno em dois pontos.
Só não sei por que demorou tanto tempo pra ele mudar de classificação. Afinal, ele sempre foi pequerrucho e tontinho. E meio isolado. Tipo um caçula adotado.
Disseram também que faria diferença para a astrologia. Plutão rege o signo de escorpião... escorpião é regido por um anão!


Grande merda.


Não faz diferença alguma. Para a astrologia, não importa a denominação astronômica do corpo celeste. Ele emana suas energias de qualquer maneira. Não entendo disso muito bem, só sei que o rebaixamento do planetinha não importou pra muito gente; só por astrônomos, pra crianças estúpidas que ficaram felizes por ter menos um planeta pra decorar e pra jornalistas que acharam isso uma grande história.
Ah, claro. Importou pros bloggeiros, também.

1 comentário:

Megalo Conci disse...

Bastou mandarem um brasileiro para o espaço e pronto, já sumiu um planeta.