segunda-feira, 5 de novembro de 2007

100 Coisas Que Eu Não Faria Se Me Tornasse Um Mestre Do Mal (parte 1)

Primeiro de 5 posts que montarão uma lista do que NÃO fazer se você for um mestre do mal, que achei aqui. Sabe aquelas coisas que você via os vilões de Power Rangers fazerem todo episódio e se perguntava "por que eles não fazem oooutra coisa?"? Era porque eles não tinham essa lista.

1 - Minhas Legiões do Terror terão capacetes com visores de vidro resistente, não um que lhes esconda a cara e os impede de ver.

2 - Meus dutos de ventilação serão pequenos demais para alguém engatinhar neles.

3 - Meu meio-irmão nobre de quem eu usurpei o poder será morto, não mantido prisioneiro em anonimato nas minhas masmorras.

4 - Não é bondoso demais atirar em meus inimigos.

5 - O artefato que é a fonte do meu poder não será mantido na Montanha de Desespero depois do Rio de Fogo guardado pelo Dragão da Eternidade. Ficará no meu cofre. O mesmo se aplica ao objeto que é minha fraqueza.

6 - Eu não vou me deliciar com a situação do meu inimigo antes de mata-lo.

7 - Quando eu capturar meu adversário e ele disse, "Olha, antes de você me matar, você pode pelo menos me contar o motivo disso tudo?" Eu direi, "Não." E atirarei nele. Não, pensando melhor, eu atirarei nele e depois direi "Não."

8 - Depois que eu capturar a bela princesa, nós nos casaremos imediatamente em uma cerimônia discreta, não um grande espetáculo de três semanas, enquanto a fase final do meu plano é terminada.

9 - Eu não instalarei um mecanismo de auto-destruição a não ser que seja estritamente necessário. Se for, não será um grande botão vermelho escrito "Perigo: Não Aperte". O Grande Botão Vermelho "Não Aperte" irá disparar uma nuvem de balas contra quem for idiota o suficiente pra faze-lo. Similarmente, o botão ON/OFF não será claramente especificado como tal.

10 - Não interrogarei meus inimigos no meu santuário -- um hotelzinho pouco além das minhas fronteiras já serve.

11 - Serei seguro da minha superioridade. Portanto, eu não sentirei necessidade de provar isso deixando pistas na forma de charadas ou deixando meu inimigo mais fraco vivo pra mostrar que ele não é ameaça.

12 - Um dos meus conselheiros será uma criança normal de 5 anos de idade. Qualquer falha nos meus planos que ele consiga ver será corrigida antes de ser implementada.

13 - Todos os inimigos mortos serão cremados, ou pelo menos vários cartuchos de munição serão descarregados nele, e não deixados como mortos no fundo do precicpício. O anúncio de suas mortes, assim como qualquer celebração, será adiado até depois do pré-mencioado depósito.

14 - O herói não tem direito a um último beijo, ou último cigarro, ou a qualquer tipo de último desejo.

15 - Eu nunca usarei um dispositivo de contagem eletrônica. Se eu achar que usa-lo é inevitável, eu ajustarei para ativar quando o contador atingir 117 e o heróis está começando a entrar em ação.

16 - Eu nunca direi a frase "Mas antes de matá-lo, tem uma coisa que quero que saiba".

17 - Não empregarei ninguém como conselheiro, irei eventualmente escutar conselhos.

18 - Eu não terei um filho. Mesmo que sua ridícula e mal planejada tentativa de roupar meu poder falhasse facilmente, ela iria causar uma distração em alguma momento crucial.

19 - Eu não terei uma filha. Ela seria tá bonita quanto má, mas um olhar para as feições rudes do herói e ela trairia seu próprio pai.

20 - Apesar de suas propriedades relaxantes, não usarei de uma risada maléfica. Usando-a, fica muito fácil perder eventos inesperados que alguém mais atento não perderia.

3 comentários:

Andarilho disse...

Acho que a série "100 Coisas que eu NÃO faria se me tornasse um herói salvador do universo" também e necessária.

Huginn disse...

Se não existe, a gente inventa.

Lady Hell disse...

Certamente...