quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Mal-estar no Roqueiro & Alcoólatra

Meus últimos posts foram só abobrinha. Peço que me desculpem por isso. Quando o blog ainda era novo, imaginava que meu papel seria escrever poucas vezes por semana, mas artigos complexos, de qualidade. Mas não foi bem assim que funcionou, nem como funciona agora. Somos em cinco no blog. Desses cinco, três têm trabalhos fixos: Rainmaker trabalha numa loja de departamentos, o Huginn numa escola de ensino médio e a Lady Hell eu não faço a menor idéia, mas deve ter alguma coisa com computadores. Sobram Anônimo e eu. Do mais novo postador do R&A, não posso falar absolutamente nada, por que:

1) Eu não conheço ele pessoalmente;
2) Provavelmente ele não gostaria que eu falasse da vida pessoal dele;
3) E é melhor que continue dessa maneira.

Resta eu, Andarilho. Sou estudante em tempo integral de férias, o que me garante uma pá de tempo livre para escrever textos originais e desbravar as interwebs atrás de imagens, vídeos, sites, notícias e outras coisas dignas (ou não) de mostrar aqui. Talvez eu consiga uma bolsa de extensão no começo do ano letivo, mas esta bolsa será meu salário como editor do Psiu, coisa que já faço de graça agora, então, a única coisa que mudará vai ser que terei que estar sempre disposto a fazer tudo pelo Psiu. Já era assim antes, mas se eu não quisesse fazer nada, eu podia. Se essa bolsa aparecer, isso acaba.

Resumindo tudo em poucas palavras: sou o único postando aqui regularmente. Seria de imaginar que, num blog com uma equipe de cinco pessoas, essas cinco pessoas fizessem, o quê? Um post por dia cada, ou um post a cada dois dias. A idéia é que, quanto mais gente escreva em um blog, há maior diversidade de opiniões e menor carga de trabalho individual. Eu tenho postado, sozinho, três vezes por dia em média nos últimos 15 dias (ou mais). É óbvio que tenho mais tempo livre que o pessoal que trabalha, mas a jornada de trabalho ocupa só(!) um terço do dia. Outro um terço é ocupado pelo sono. Sobram ainda oito horas de tempo não ocupado por trabalho. Digamos que dessas oito horas, apenas a metade (quatro horas) sejam de tempo genuinamente livre. Será que dá tempo de escrever alguma coisa? Pessoalmente, acho que dá.

Tomei como obrigação minha manter o blog sempre atualizado, e manter uma média razoável de posts diários. Mas fazer isso quase sozinho é triste, até mesmo deprimente. Sinto-me abandonado pelos outros. Gente, eu sei que vocês trabalham duro, mas dá pra escrever alguma coisinha aqui de vez em quando?

5 comentários:

barbara disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
barbara disse...

barbara disse...
pare de esscrever tanto sobre o escrever q tu ganha mais tempo, ou perde menos tempo, como for, que te conheco e sei q saem coisas mais interessantes dessa caxola....e alias, quantidade n eh qualidade!!! melhor nao dizer nada do q falar soh besteira....s tantas preocupacoes com isso!!! graaaaande abraco!!!

barbara disse...

anonimo!!! anonimo!!!! descobri quem eh o anonimo!!! huhuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!! heheheheheh!!!

Andarilho disse...

Escrever sobre escrever tem seu mérito. Só que é chato de ler.

Anónimo disse...

Concordo contigo, Bárbara. O Andarilho escreve demais sobre escrever, sobre tempo, etc. Mas como tu me descobriste? Ah, meu Deus. Meu segredo foi revelado.